Activision Blizzard edita pesadamente o blog do gerador de diversidade de King, remove todas as imagens de ‘classificação’

Activision Blizzard edita pesadamente o blog do gerador de diversidade de King, remove todas as imagens de ‘classificação’

Ontem, inesperadamente, a Activision Blizzard lançou um longo post no blog dedicado a apresentar uma “Ferramenta Espacial de Diversidade” feita pela King, o braço móvel da empresa com sede em Malta e fundado na Suécia.

Nele, eles mostram como a ferramenta pode ser usada para ajudar a garantir que os jogos tenham diversidade e não haja pontos cegos da equipe em termos de personagens sub-representados ou preconceitos inconscientes. Mas, embora a missão pareça nobre, a maneira como o sistema funciona na prática, atribuindo números aparentemente arbitrários de “ranking” a diferentes raças, gêneros, sexualidades e tipos de corpo, uniu jogadores de esquerda e direita ao condenar o quão terrível isso parece.

A Activision Blizzard agora publicou um adendo ao post, além de editar partes dele, com base na reação de ontem que fez com que a empresa tivesse uma tendência negativa, que geralmente é a única razão pela qual tem tendência no último ano ou assim. Outra polêmica como essa não é o que eles precisam, e é assim que eles tentaram explicar a ferramenta, além de alterar fortemente a própria postagem e remover todas as imagens que foram postadas nela:

NOTA DO EDITOR (19h42 PT – 13 de maio de 2022): Houve conversas online sobre a Ferramenta Espacial de Diversidade, particularmente sobre sua intenção e nosso compromisso com a diversidade. Editamos esta postagem no blog para esclarecer que este protótipo não está sendo usado no desenvolvimento ativo de jogos. Gostaríamos de adicionar o seguinte comentário para contexto adicional:

Iniciada em 2016, a Diversity Space Tool – atualmente na versão beta – foi projetada como um complemento opcional ao trabalho duro e foco que nossas equipes já colocam em contar histórias diversas com personagens diversos, mas as decisões sobre o conteúdo do jogo foram e sempre serão conduzido por equipes de desenvolvimento. A ferramenta foi desenvolvida na King e foi testada em beta por vários desenvolvedores da empresa, todos os quais forneceram informações valiosas.

O objetivo de usar a ferramenta é descobrir preconceitos inconscientes, identificando normas existentes na representação e reconhecendo oportunidades de crescimento na inclusão. Não substitui nenhum outro esforço essencial de nossas equipes nesse sentido, nem alterará as metas de contratação de diversidade de nossa empresa. Ao longo dos últimos anos, o desenvolvimento da ferramenta foi feito com o apoio de todas as nossas redes de funcionários DE&I e colaboramos com parceiros externos para criar uma ferramenta ainda mais robusta.

A ferramenta não deve ser usada isoladamente; as equipes se sentariam com a equipe de DE&I da empresa para identificar as normas existentes e depois discutir, educar, consultar e colaborar sobre como a representação de um personagem é expressa além dessas normas. Esse processo visa criar uma conversa onde nossos desenvolvedores, auxiliados pela ferramenta, desafiem suposições, avaliem escolhas e encontrem oportunidades de representação autêntica a ser fomentada em nossos jogos.

A Activision Blizzard está comprometida em refletir a diversidade de seus milhões de jogadores ao redor do mundo por meio da representação e inclusão em seus jogos, bem como em seus funcionários. Nossa intenção com esta entrada de blog foi compartilhar uma parte em andamento de nossa jornada neste empreendimento. Reconhecemos e respeitamos que todas as pessoas podem estar por conta própria, ponto único em sua jornada com a DE&I. A Diversity Space Tool não é uma avaliação definitiva da diversidade no conteúdo do jogo; em vez disso, é uma ponte para abrir conversas previamente não ditas sobre como a inclusão ponderada pode acontecer – e prosperar – nos jogos.

Essas imagens ficarão na internet para sempre, é claro, e levantarão muitas questões, como a que foi mostrada de Ana de Overwatch:

Embora eu entenda que a linha de base “zero” padrão aqui seria cis, hetero, homem branco, o grupo demográfico mais representado nos jogos, isso levanta todos os tipos de questões:

  • Se Ana obtiver 7/10 em “Cultura” e “Raça” por ser uma árabe egípcia, o que exatamente é 10/10 ou 3/10? Como esses “níveis” são calculados?
  • Se a idade dela de 60 anos também for 7/10, digamos que um personagem de 100 anos ganhe 10/10? Ou uma criança porque você normalmente não vê isso em jogos FPS?
  • Estamos classificando deficiências também. A falta de um olho dá a Ana 4/10 em Habilidade Física. O daltonismo é 1/10? A paralisia total é 10/10?
  • Ana é uma mulher, o que lhe dá 5/10. Como os personagens trans seriam classificados aqui? O que é um 10/10 nesta categoria?
  • Ana tem 0/10 para o tipo de corpo, pois ela é “magra + curvilínea”, mas outra imagem removida mostrou que o musculoso Zarya teve uma pontuação mais alta no tipo de corpo do que Torbjorn, o cara baixinho e redondo. …Por que?

Então, você pode ver o problema aqui, e por que todo mundo estava questionando os prós e contras deste sistema. Não tenho certeza se a nova explicação está fazendo algum favor a eles, e realmente, eu só quero saber como seria um 10/10 em todas as categorias.

Em conclusão: contrate equipes diversificadas.

Me siga no Twitter, Youtube, Facebook e Instagram. Assine meu boletim informativo semanal gratuito de resumo de conteúdo, Deus rola.

Pegue meus romances de ficção científica o Série Herokiller e A trilogia dos nascidos na terra.

Leave a Reply

Your email address will not be published.